Poetas sem Fronteiras
Blogging in the Wind

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Indigno Blues ou o Insuportável Ricardo G. Ramos



"Le deséspoir est une
  forme supérieure
  de la critique"
         Léo Ferré


Livrar a trava do cão.  Matar o restinho do monstro
seio murcho da família.  O eterno noturno entre lençóis
da mãe disponível.  Repartir o michê com o menino
perdido no pó
Domar a droga do palavrório despercebido
no banheiro da academia

Assistir com Santa Impaciência depilação
de aranha adolescente e seu estilo normalista


Enfiar até os colhões

Reservar a tribuna de honra para os chatos
catados ao relento

Não passar o bastão.  Ainda

Um pé no acelerador,  o outro na pista molhada
O olho bom no andar térreo da ampulheta
Anotar o lugar do carneiro perpétuo
Jogar tudo no bicho-papão de Mishima 
O samurai sem pilha de gato

(Bairro da Liberdade.  Interior.  Festa.  Canhões de luz)

Ok Lady Day.  Play the game
Um puzzle.  Um quebra-coração
Um pulso de veias difíceis

Um pico de unicórnio descartável


Clique no link e escute o poema musicado por Löuis Lancaster da Banda Zumbi do Mato.

Um comentário:

  1. Maravilha, meu chapa, meu japa, meu Jápeto!! Sou muito orgulhoso dessa parceria até hoje :)

    ResponderExcluir